Distribuição eletrônica – Pra quê estudar isso?

Distribuição eletrônica serve pra quê professor?  😕 Esse é uma das perguntas que mais recebo nas aulas.

Talvez você já tenha perguntado isso. Talvez não.

Mas o fato é que a maioria dos alunos se assustam quando olham aquele monte de letras, números (s2, p6, d10..), setas prum lado e pro outro, sem sentido algum, e não entendem o porquê de se fazer aquilo tudo,  pra que fazer aquela distribuição eletrônica.

E o que te digo agora, com toda certeza é que distribuição eletrônica,é a melhor coisa que já inventaram para quem estuda química de ensino médio.

É verdade!! 😛

Isso porque ela te oferece informações preciosas relativas a várias propriedades dos elementos.

Com a distribuição eletrônica você consegue prever como se comporta o elemento químico em uma reação, se ele tende a perder ou ganhar elétrons, se ele tende a fazer ligações iônicas ou covalentes, prever a fórmula molecular e iônica do composto, se ele tem caráter básico ou ácido, além de outras informações.

Enfim, é através da distribuição eletrônica que você consegue obter inúmeros conhecimentos básicos que te auxiliarão a fazer as questões desse e outros assuntos, tais como, reatividade de compostos químicos e eletroquímica.

E neste artigo vou te mostrar exatamente quais informações são essas que a distribuição eletrônica te oferece que farão tanta diferença nos seus estudos. Acompanhe-o até o final.

Distribuição eletrônica - A rica fonte de informações.

A principal informação que a distribuição eletrônica te oferece é:

O número de Elétrons na camada de Valência (CV)

Essa informação é a informação mais preciosa pois é a partir dela que você extrai várias informações essenciais (TOP!!) para outros assuntos de química.

Algumas informações que o número de elétrons na camada de valência (cv) te oferece são:

1- Distribuição eletrônica - Permite você saber se o elemento é um Metal ou Ametal

Os elementos que possuem menos de 4 elétrons na camada de valência (CV) são METAIS, enquanto aqueles que possuem mais de 4 elétrons na camada de valência são AMETAIS.

Isso é fundamental para você saber que ligação um determinado composto ou substância química possui.

Ligações iônicas são decorrentes da ligação entre um Metal e um Ametal, e ligações covalentes são decorrentes de ligação entre Ametal e Ametal ou Hidrogênio e Ametal.

Isso quer dizer que sempre que um metal e um ametal se combinarem, eles estarão formando uma ligação iônica, e sempre que dois ametais se ligarem eles farão uma ligação covalente entre si.

Distribuição Eletrônica - metal e ametal

Vamos ver uns exemplos.

Veja esse compostos abaixo muito comuns em provas:

  • NaCl

Esse composto é o Cloreto de Sódio, sal formado pela união de um átomo de Sódio ( Na), que possui 1 elétron na camada de valência, e o Cloro (Cl), átomo que possui 7 elétrons na camada de valência. Portanto, o sódio é um metal (pois possui menos de 4 elétrons na camada de valência), enquanto o Cloro é um Ametal ( pois possui mais de 4 elétrons na camada de valência). Como há uma ligação entre um metal e ametal, o tipo de ligação formada entre os elementos é Ligação Iônica.

  • CaCl2

O mesmo acontece para o CaCl2. O Cloreto de Cálcio é formado pela união do metal Cálcio (Ca),que possui 2 elétrons na camada de valência ( menos de 4 elétrons na camada de valência), com o Cloro (Cl), ametal ( mais de 4 elétrons na camada de valência) com 7 elétrons na camada de valência. Portanto há uma ligação entre um Metal e Ametal formando uma Ligação Iônica.

  • Cl2

Perceba agora a Situação do gás cloro (Cl2). Ele é formado pela união de dois átomos de Cloro (Cl), Ametal com 7 elétrons na camada de valência. Como a união acontece com 2 Ametais, a ligação química entre eles é do tipo Ligação Covalente.

2- Distribuição eletrônica - Permite você saber se o elemento forma um cátion ou ânion e definir suas cargas.

Os metais têm tendência a perderem elétrons, tornando-se carregados positivamente (cátions), enquanto os ametais, tem tendência de receberem elétrons tornando-se carregados negativamente (ânion).

As cargas dos cátions e ânions dependem de quantos elétrons eles possuem na camada de valencia. Perceba na figura abaixo que a carga do cátion é igual ao número de elétrons da camada de valência, por outro lado, a carga do ânion é igual a quantidade de elétrons que ele recebe para ficar com 8 elétrons na camada de valência ( Regra do Octeto).

Visualize a figura abaixo:

Distribuição Eletrônica - carga dos íon

Perceba que o Oxigênio (O) possui 6 elétrons na camada de valência, e por isso, precisa ganhar 2 elétrons para estabilizar com 8 elétrons na camada de valência ( Regra do Octeto), com isso ele recebe os 2 elétrons e fica carregado (-2), formando um ânion bivalente ( íon de carga 2 negativo).

Perceba que o Bromo (Br) possui 7 elétrons na camada de valência, e por isso, precisa ganhar 1 elétron para estabilizar com 8 elétrons na camada de valência ( Regra do Octeto), com isso ele recebe 1 elétron e fica carregado (-1), formando um ânion monovalente ( íon de carga 1 negativo).

Quer saber quais os cátions e ânions mais cobrados em provas de vestibulares?? (Clique Aqui)

Outra informação importante é que a partir da distribuição eletrônica podemos descobrir as fórmulas das substâncias. Veja o próximo tópico.

3- Distribuição eletrônica - Permite você descobrir a fórmula das substâncias

Talvez você tenha dificuldades de saber determinar as fórmulas químicas das substâncias. Talvez não.

A realidade é que essa dificuldade é muito comum entre os alunos. Mas que é muito fácil de ser tirada. E neste momento vou te mostrar direitinho como a distribuição eletrônica pode te ajudar a descobrir a fórmula das substâncias.

É muito simples!! 😀

Você precisará conhecer os pontos 1 e 2 que explicamos acima neste artigo.

Conhecendo se o elemento químico é metal ou ametal, o tipo de ligação que ele faz ( ligação iônica ou covalente), e a quantidade de elétrons que o elemento tende a doar ou receber é fundamental para se determinar a fórmula das substâncias.

Quer ver dois exemplos?

Imagine o composto formado pelos átomos de Magnésio (Mg, família 2A, com 2 elétrons na camada de valência) e Cloro (Cl, família 7A, com 7 elétrons na camada de valência).

O magnésio, por ter menos de 4 elétrons na cv é um metal e tende a perder seus 2 elétrons da cv se transformando em um cátion de carga +2 ( Mg+2).

OBS: "cv" siginifica camada de valência.

O cloro, por ter mais de 4 elétrons na cv é um ametal com 7 elétrons na cv, que tende a receber 1 elétron, se transformando em um ânion de carga -1 (Cl-1).

Portanto, temos dois íons: Mg+2 e Cl-1 que vão se combinar para formar o composto.

Para neutralizar a carga do composto temos que combinar as cargas positivas e negativas para que a soma das cargas seja nula.

Desta forma, precisamos juntar 2 Cloros com 1 magnésio para obter o composto Cloreto de Magnésio, cuja fórmula é MgCl2.

Quer ver outro exemplo de como a distribuição eletrônica vai ajudar a determinar as fórmulas das substâncias?

Imaginemos um molécula formada pelos elementos Carbono (C) e Oxigênio (O). O carbono possui 4 elétrons na camada de valência, desta forma ele se comporta como ametal que tenderá a receber 4 elétrons para se estabilizar com 8 elétrons na camada de valência. O Oxigênio possui 6 elétrons na camada de valência, se comportanto como ametal que tenderá a receber 2 elétrons para se estabilizar com 8 elétrons na camada de valência .

Como temos dois ametais, a ligação química entre eles será a Ligação Covalente em que ambos compartilharão os elétrons para se estabilizarem juntos. O carbono vai compartilhar 4 elétrons ( 2 com cada átomo de oxigênio), enquanto cada oxigênio quer compartilhar dois elétrons.Visualize a figura abaixo:

49c9e31b0beaa628f6d6a0cd1d123a1b - Distribuição eletrônica - Pra quê estudar isso?
Ligação Covalente - Molécula CO2

O carbono (verde) possui 4 elétrons na camada de valência ( camada mais externa do átomo), e compartilha dois elétrons com cada átomo de oxigênio (vermelho), desta forma o carbono fica com um total de 8 elétrons na camada de valência e o oxigênio também fica com um total de 8 elétrons na camada de valência, respeitando a regra do octeto. Experimente contar os elétrons na última camada da figura!!

Desta forma, como a substância é composta por 1 átomo de carbono e 2 átomos de oxigênio, sua fórmula molecular é CO2.

8b2a8d8cbce7526fdca3d595ca8f4946 - Distribuição eletrônica - Pra quê estudar isso?
Fórmula Estrutural do CO2

4- Distribuição Eletrônica - Outras informações

Além das informações acima citadas, com a distribuição eletrônica podemos descobrir informações a respeito das propriedades periódicas e aperiódicas dos elementos químicos. Tais como:

  • Raio Atômico
  • Energia de ionização
  • Eletroafinidade
  • Eletronegatividade

Mais informações sobre esses conteúdos serão disponibilizados nos artigos de nosso blog. Fique atento.

Recapitulando as principais informações dadas pela distribuição eletrônica

  • O número de Elétrons na camada de Valência (CV);
  • Permite você saber se o elemento é um Metal ou Ametal;
  • Permite você saber se o elemento forma um cátion ou ânion e definir suas cargas;
  • Permite você descobrir a fórmula das substâncias;

Conclusão

Estudar distribuição eletrônica pode parecer cansativo e desnecessário, mas não é.

Dominar esse conteúdo vai lhe oferecer a base necessária para aprender vários outros assuntos de química de forma mais tranquila e menos estressante, oferecendo a base de conhecimento sólida que você precisa para se dar bem nas provas do enem e vestibulares.

Portanto, aproveite para aprender!

Vou tirar TODAS AS SUAS DÚVIDAS!! Basta deixá-las aqui embaixo nos comentários.

Se você gostou do artigo, e acha que ele te ajudou, dá uma curtida e compartilha com teus amigos.

Grande Abraço e Bons estudos!!

 

3 Comentários


  1. Olá, eu não entendi a representação da ligação covalente. O oxigênio possui 6 elétrons e o carbono 4, entretanto na representação, o oxigênio aparece com 8 elétrons e compartilhando 2, não deveria ser 6 elétrons e compartilhando 2?

    Responder

    1. Oi, Gabriela, o átomo de oxigênio tem número atômico igual a 8, logo ele tem 8 elétrons, sendo 2 elétrons na primeira camada e 6 elétrons na sua camada de valência ( segunda camada, a mais externa).
      Desta forma, a representação está correta. O oxigênio tem 6 elétrons na última camada e compartilha 2 elétrons para se estabilizar.

      Espero ter ajudado. Grande abraço.

      Responder

Deixe uma resposta para Sayonara Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *